segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Redoma


"(..) Assim o principezinho, apesar da boa vontade do seu amor, logo duvidara dela. Tomara a sério palavras sem importância, e se tornara infeliz.
'Não a devia ter escutado - confessou-me um dia - não se deve nunca escutar as flores. Basta olhá-las, aspirar o perfume. A minha embalsamava o planeta, mas eu não me contentava com isso. A tal história das garras, que tanto me agastara, me devia ter enternecido...'
Confessou-me ainda:
'Não soube compreender coisa alguma! Devia tê-la julgado pelos atos, não pelas palavras. Ela me perfumava, me iluminava... Não devia jamais ter fugido. Devia ter-lhe adivinhado a ternura sob os seus pobres ardis. São tão contraditórias as flores! Mas eu era jovem demais para saber amar.'"
.
.
O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint- Exupéry.

2 comentários:

.lucas guedes disse...

que lindo isso. e a marta maia tá me dando aula na usp. e ela lembrou (e falou muito bem do seu trabalho) bjs.

Marcelo Maluf disse...

Olá Michelle, parabéns pelo seu blog, é fantástico!!!Fiquei surpreso e feliz em ver o meu Labirinto entre os seus links!!!Beijão!
Marcelo