domingo, 12 de julho de 2009

Peripécias desimportantes

.
Acordou com o sol alaranjado na face e o gorjeio dos pássaros na janela. Ainda sonolenta, levantou da cama e afastou a cortina da vidraça para observar o dia. Foi ao banheiro, lavou o rosto, escovou os dentes e trocou de roupa, pondo-se em direção à padaria.
Com os olhos atentos àquela manhã de outono, contemplava o azul do céu em contraste com o verde das árvores e, às vezes, parava no meio do caminho, absorta no movimento das nuvens que mudavam de formato a cada segundo.
Andava na rua distribuindo sorrisos e palavras gentis a desconhecidos. “Olá”, “bom dia”, “tudo bem?”, ao que era retribuída por pessoas surpresas, imaginando de onde conheciam a tal garota. Ao notar a fisionomia confusa dos transeuntes, ela dava um sorrisinho e continuava o seu trajeto. Gostava da vida acontecendo sem nada de importante acontecer.


6 comentários:

carina gomes disse...

Que texto gostoso. É seu?

Quanta beleza na "vida acontecendo sem nada de importante acontecer".

A boa descrição de momentos simples do cotidiano sempre se traduz em saborosa leitura. Adorei!

Michele Prado disse...

Seus comentários são sempre gentis, Carina. Muito obrigada pela delicadeza.

Respondendo... Sim, o texto é meu. =)

Raoní Santos disse...

ceu azul... verde das arvores... parar no meio do caminho para ver as nuvens..cumprimetar desconhecidos

que inveja dessa aventureira despreocupada

André Neves disse...

Michele, obrigado por sua postagem. Nossa, adorei o ritmo dos seus texto. BOM DE PASSEAR E LER.
Abraços

Caio Tozzi disse...

Que andemos assim, garota do copo d'agua.

Para que nos nossos descuidos, sem pretenções em nossos passos e caminhos (que difícil, a nós, que inventamos histórias não tentar inventar a própria), possamos ter surpresas e felicidades.

A vida, certamente, nos trará a história certa, não é sempre assim nas que vem na nossa cabeça?

Tatiana Lazzarotto disse...

Ah, Michele. Seu blog é tão bom quanto os textos q vc escreve lá nos 30. Não estou podendo passar com muita frequência, mas qdo entro leio vários de uma só vez. E me traz uma paz tão grande, é sensível, delicado. Adoro!

Beijos