quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Diferenças que atraem


Marcelino era um menino que enrubescia sem nenhum motivo. Por não precisar levar uma bronca ou passar vergonha para ficar com o rosto vermelho, todos os seus colegas o achavam muito diferente. Marcelino não entendia o motivo, mas, mesmo assim, resolveu se isolar dos outros para poder brincar em paz. Até que um belo dia, o garoto conhece Renê Rocha, um menino violinista que tinha algo parecido com ele: espirrava sem parar, mesmo sem estar resfriado.

É assim que começa a história de Marcelino Pedregulho, do ilustrador francês e colaborador de revistas como The New Yorker, Jean-Jacques Sempé, que recebeu o prêmio Altamente Recomendável da FNLIJ.



"Se eu quisesse que todo mundo ficasse triste, contaria que os dois amigos, presos às suas obrigações, não se reviram mais. De fato, é o que acontece na maioria das vezes. A gente reencontra um amigo, fica supercontente, faz planos.

E depois, a gente não se vê mais. Porque não temos tempo, porque moramos longe um do outro, porque temos um monte de trabalho. Por mil outros motivos.

Mas Marcelino e Renê se reviram."


(Trecho de Marcelino Pedregulho, de Jean-Jacques Sempé)


Para saber mais sobre a obra, clique aqui e aqui.

2 comentários:

Cecilia Nery disse...

Lindo, Mi. Estou com o livro em casa para ler. Vai ser uma aventura e tanto. Adoro histórias de amizade e seus comentários só me fazem querer ler mais ainda. Beijos.

Princesa Amnésia disse...

...e Michele e Gilmara se reencontraram !

eeeeeeeeee!!!