terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

A mancada

A fila da lotação dava voltas e mais voltas. Droga! Queria chegar logo em casa, mas estava tão cansada para ir em pé, sendo pisoteada e amassada. Decidi: vou esperar.
Coloquei meu fone no ouvido e embalada pela mpb da nova aguardei até chegar minha vez. Quando embarquei vi que tinha sobrado apenas o banco dos velhinhos e das gestantes. Droga, droga! Aposto que vai ser só eu sentar para chegar alguém e eu ter que levantar e ir amassada. Como é dura essa vida de baixinha.
Dito e feito. Quando a lotação tava cheia, mas bem cheia até ter gente se apoiando na porta, entrou um moça, blusa preta e barrigão redondinho. Olhei bem. Vai que ela tá gordinha e não grávida. Olhei bem de novo. Não, tá grávida, sim, vou levantar.
- Moça, moça! Ó, senta aqui – eu disse.
Ela me olhou bem, da cabeça aos pés. E eu já de livro, mp3 e bolsa na mão, pronta pra levantar. O olhar dela variava num misto de surpresa e raiva.
- Eu não tô gestante não! – gritou bem alto, pra todo mundo ouvir.
- Ah… tá. – respondi, voltando a sentar.
Acho que nunca fiquei tão sem graça em toda minha vida. Que vergonha, meu Deus. Que vergonha…
Juro que na hora eu queria ser uma ema, pra enfiar minha cabeça num buraco e não tirar nunca mais.

Ah! O simpático bichinho da foto é uma ema do sítio Santo Antônio, em Santa Isabel - SP.

2 comentários:

[denise abramo] disse...

kkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
[se eu fosse ela, aceitava e sentava pra diminuir o mico...
rs*]

disse...

Ela foi mais sem noção que você. Mal educada, hein!

Tudo bem que ela não está grávida, mas como você iria saber...hehe